Exu é Orixá

Faça-se a Luz!

E a luz se fez!

Assim nasce Exu, o Orixá primordial.

O primeiro Orixá!

A primeira luz, a primeira estrela a ser criada.

É luz que ilumina a escuridão.

Exu é a anunciação de novos tempos, o desejo de desenvolvimento.

Exu é a origem da ordem, da disciplina e da organização.

Exu é o regulador do cosmos, e vitalizador do universo.

Exu não é explicado, ele é entendido. Por isso falar de Exu é uma tarefa difícil, pois Exu se sobrepõe a razão, pois Exu já existia antes da mesma.

Em Exu tudo é controverso, complexo e misterioso. Pois Exu está muito além do dualismo maquineísta[1] do bem e do mal.

Orixá dos caminhos, Exu é o elo de ligação com o Orum (mundo primordial e lugar sagrado dos Orixás), com o Ayê (mundo das materializações).

Para o povo iourubá, o visível é apenas a manifestação do invisível. Por de trás de toda forma aparente, encontra-se a realidade da essência, o princípio quê através dela se manifesta.

E Exu é o elo do aparente e tangível, com a essência intangível, ou entre o mundo das formas e o mundo das ideias. Entre o profano e o sagrado. Exu é a comunicação e o comunicador,

A Exu se pede licença para a realização de todas as empreitadas, pois é através de Exu que o axé (de todos os Orixás) se movimenta. Exu é o Orixá da encruzilhada[2] dinâmico, mas também é paciente.

É Exu que libera os caminhos (vias evolutivas), que dá a direcção e que protege a caminhada. Exu é quem estimula o homem a evoluir, a buscar o desenvolvimento de suas virtudes.

Exu é disciplina, a ordem é a força de conciliação entre os contrários.

Exu é o portador da cabaça (útero sagrado/princípio gerador feminino) e do Ógò (pénis sagrado/princípio fecundador masculino). É a complementaridade dos Opostos. Exu é vida, é equilíbrio, é energia vital e vitalizadora.

Exu é o guardião de tudo que existe na criação.

Enquanto irradiação divina, Exu é indispensável para a sustentação e a manutenção do equilíbrio da organização.

A anuência do axé de Exu depende da disciplina, da organização e da responsabilidade do individuo.

Cultuar Exu não nos iliba de nossa responsabilidade em relação ao nosso bom proceder. Pois na ausência de virtudes, o axé de todos os Orixás se enfraquecem em especial o de Exu que tem como uma de suas funções “vigiar” o comportamento do ser humano.

Exu é o Orixá que faculta as novas oportunidades, pois ninguém está eternamente perdido com Exu em seu caminho.

Enquanto o Orixá mais perto do ser humano, Exu apoia todos as acções rectas dos caminhos daqueles que buscam o sentido de sua existência. Pois Exu auxilia na conquista da leveza, riqueza, prosperidade e sorte.

Heldney Cals

(1) O maniqueísmo é uma filosofia religiosa sincrética e dualística fundada e propagada por Manes ou Maniqueu, filósofo cristão do século III, que divide o mundo simplesmente entre Bom, ou Deus, e Mau, ou o Diabo. A matéria é intrinsecamente má, e o espírito, intrinsecamente bom. (fonte Wikipédia).

(2)Simbolismo da Encruzilhada

  • Novos caminhos
  • Novas possibilidades
  • Local onde o visível e o invisível se encontra
  • Onde O Orun se encontra com o Ayê
  • O espiritual liga-se ao material
  • O sagrado e o profano se encontram