Não há como ser próspero se seu espírito é mesquinho.

Como já comentado anteriormente, prosperidade não é riqueza, mas sim um estado de alma, que pode lhe levar a riqueza. Mas, você pode ser próspero sem ser rico e ser rico sem ser próspero.

As ideias e os comportamentos mesquinhos são contrários a uma vida próspera e abundante.

Mesquinhez não é apenas ser forreta, “mão de vaca”, avarento, sovina, pão duro entre outras colocações.

Mesquinhez é, tal como a prosperidade, um estado de espírito. É uma visão pequena, insignificante e muito limitada de si próprio, da vida e das coisas.

É o contrário da generosidade.

Generosidade não é dar, doar sem nada esperar receber. Todos que doam esperam alguma coisa, no mínimo se sentir feliz com sua generosidade.

Ser generoso também é uma característica da alma, que vai muito além do acto de dar. É uma forma mais grandiosa de ver as coisas, de se ter compaixão, respeito e gratidão perante o outro e a vida.

Toda vez que você joga a culpa nos outros, na vida, você está a ser mesquinho, pequeno. Não assumir responsabilidade pela situação em que você se colocou é negar a sua própria grandeza. E como ser prospero quando se coloca pequeno?

A mesquinhez não permite que você enxergue a abundância e a generosidade da vida. E quem não enxerga o seu poder, a abundância e a generosidade da vida é pobre e cego de espírito. E claro que quem se coloca nessa situação vai penar, sofrer, cair em depressão e o pior vai viver da dependência da boa vontade alheia, que muitas vezes atrapalha mais do que ajuda. Pois muitas vezes a única coisa que faz é acomodar o individuo que em vez de usar o seu poder de fazer por si, fica à espera das migalhas do outro. Que por sua vez, na grande maioria das vezes dá sem ser generoso. Dá por obrigação, por descargo de consciência ou para fazer bonito para sociedade e para os outros. Isso também é um comportamento mesquinho. Pois tanto uma situação como a outra denotam uma grande falta de amor próprio de reconhecimento do seu real valor. E como ser próspero sem amor próprio? Como ser prospero sem auto valorização? E na falta de amor próprio, na falta de auto valorização vem a carência afetiva, a insatisfação, a acomodação, o vitimismo e a pobreza.

Não nego que há pessoas em situações miseráveis e que precisam de ajuda, mas não é delas que estou a falar, eu estou a falar de você, por que essa não tem (talvez) nem condições ou interesse de estar a ler esse texto.

Mas ajudar não é assumir as necessidades e a dor do outro. Ajudar é criar as condições, dar o meio para o qual o outro melhore e prospere. Dar, apenas por dar, sem criar as condições do outro se desenvolver e melhorar é mantê-lo estagnado e acomodado na mesma situação. Além do mais poucos são os que reconhecem e dão valor a uma ajuda que recebem, a grande maioria não sabe ser grato, não sabe dar valor e ainda acha que é obrigação dos outros e do governo lhe concederem uma melhor condição de vida. Não se apercebem na sua pobreza de espírito que isso é cobiça, ou seja, é querer colher o que não plantou.

Todos são chamados a fazer por si. Todos são chamados a suprir suas próprias necessidades que por sua vez é uma força do espírito que lhe impulsiona a ir para frente.

Ninguém tem a obrigação ou faz nada por você! Só você pode sair da situação em que se colocou. Nós (exus), os Guias, os Orixás, Deus, só conseguimos agir se você criar às condições certas para isso. E isso significa ter uma visão mais grandiosa e generosa de você, dá vida e dos outros.

Tudo começa e termina em você.!

O resto… é só colaboração que é outra forma de assumir uma postura de prosperidade interior. Pois colaborar é ter boa vontade!

Aquele que só quer receber, sem nunca colaborar, cooperar, contribuir, pois sempre se julga o coitado infeliz que não teve sorte na vida e não reconhece o esforça, a dedicação, o empenho do outro é de facto um miserável.

Todos tem condições de colaborar, em especial com si próprio. Mas muitos nem isso querem fazer, para tudo colocam empecilho, pois tudo é difícil e requer esforço e dedicação e a pobre vítima do universo não tem condições de fazer por si, afinal… nem pediu para nascer, não é mesmo?

Como se consegue algo sem esforço, sem empenho, sem dedicação e investimento?

Quem quer tudo de graça, sem graça fica na vida! (Gargalhadas)

Ninguém é responsável por você!

Aprenda a dar valor ao que recebe, troca ou compra!

Pare de querer tudo de graça, o que é de graça para você custa para o outro, ou você nunca pensou nisso?

Provavelmente não!

Pois só você é o desgraçado, o coitadinho que passa por dificuldades na vida e tem que fazer frente aos desafios de crescimento e de desenvolvimento da alma, do carácter e da consciência que a vida reservou para você, não é?

Acorde!!!

Nem Deus, nem o outro não tem a obrigação de sustentar os seus delírios de insignificância. Faça por onde ser uma pessoa digna da colaboração do outro, pois só quem está disposto a fazer por si é que de facto merece a ajuda, a colaboração dos outros.

Quem ainda não está disposto a fazer por si e fica atirando a responsabilidade pela sua vida aos outros, sejam eles encarnados ou desencarnados, seja à Deus ou aos Orixás, é por que ainda está preso em seu pobre estado de alma e ainda não possuem condições de serem ajudados, e sim tratados como pobres coitados inúteis e desamparados das graças divinas. Dignos de piedade!!!

Mas cuidado, esse é outro comportamento perigoso e mesquinho. Pois vai fazer com que você assuma esse tipo de gente, que quanto mais você faz por elas, mais elas exigem e de nada vai adiantar todo seu sacrifício e ainda é capaz de levar você para o buraco.

Ser generoso significa saber olhar com respeito, amor e compaixão e inteligência para si mesmo e para o outro.

Assim, deixe de se julgar e de julgar os outros, cada um cria a cama na qual se deita e não cabe a ninguém ser o juiz.

Se tem condições de ajudar, ajude. Se não tem, fique quieto e não atrapalhe! Mas se resolver ajudar, ajude por que assim sua alma quer, por que seu coração deseja. Ajude por que você irá se sentir bem com o seu acto e ao fazer isso você já está a ganhar, a prosperar.

Ajudar, ou como você gostam de falar, fazer a caridade (conceito há muito deturpado) é preciso ser feito com consciência e boa vontade, e acima de tudo respeitando os seus próprios limites. A ninguém é pedido para fazer mais ou dar mais do que pode e exigir isso de você ou do outro é falta de respeito, amor e generosidade consigo e com os outros o que tirará você do encanto, da magia, da lei da prosperidade.

Assim, deixe de querer tudo de graça e aprenda a ser generoso consigo próprio e com a vida. Pois ninguém consegue multiplicar nos outros o que não tem em si e para si. Aprenda a ser responsável por suprir as suas próprias necessidades e deixe de jogar a culpa nos outros e na vida. Abandone as ideias pequenas e mesquinhas, deixe de querer ser santo e perceba como você anda se tratando. Só com essa consciência é que você pode resolver as mazelas da sua alma e fazer tudo melhorar.

Leia Também!
Prosperidade e Caridade – Texto inspirado pelo Sr. Exu do Ouro