““Quem canta seus males espanta”

Sabedoria popular

“Mas quem canta e dança joga ainda mais para longe.””

“Nêga” Adelaide

Essa é uma afirmação constante da Baiana que comigo trabalha. Onde durante seus trabalhos de atendimentos pede para seus filhos, lembrarem do toque do atabaque, dos pontos que estão sendo cantados, e no seu dia-a-dia cantarem e dançarem com eles.

É interessante perceber que essa baiana usa dos mistérios da música, dos pontos cantados de Umbanda como complemento dos seus trabalhos espirituais no intuito de promover o equilíbrio e a harmonia de seus filhos, livrando-os assim de suas mágoas, frustrações e tristezas e trazer força, vontade, alegrias e animo para suas vidas.

Esse ensinamento através do seu trabalho, me levou a observar como as pessoas gostam de se relacionar com ela, sempre com um sorriso no rosto, e quantos não me dizem que se sentem melhor ao fazerem isso, como também que muitas vezes só em estarem na consulência, cantando e dançando com os pontos que estão a ser cantados pela curimba da casa já se sentem melhores e aliviados, as vezes nem precisando ou querendo tomar um passe com as entidades pois já se sentem descarregadas e energizadas.

Como é mágico a música, como é mágico um ponto cantado.

Sabemos que a música possui um efeito poderoso em nosso campo emocional, onde sua melodia pode nos alegrar, nos elevar como também entristecer e até mesmo nos irritar.

A maioria das religiões, para não dizer todas tem nos seus cânticos uma forma de se conectar a Deus e suas divindades, isso nos mostra o quão sagrado é a música.

Antigamente as música e as melodias sagradas não eram apenas utilizadas como forma de se conectar com Deus/deuses, mas eram também uma forma de atrair seus os poderes para o ambiente ou mesmo para as pessoas como forma de cura e proteção.

Dentro dos fundamentos do Ritual de Umbanda encontramos os pontos cantados que podem ser entoados apenas com a utilização da voz, ou mesmo estarem acompanhados por um conjunto de instrumentos musicais (atabaque, ganzá, agogô).

A voz, juntamente com uma música de elevação espiritual que clama aos poderes divinos é um “remedio” natural de nosso corpo. Não importa se a voz de quem canta seja afinada ou não, o que importa é cantar com alma, com sentimento. É ensinando pela espiritualidade, como também por vários musicoterapeutas que as pessoas que cantam[1] dificilmente se sentem desanimadas ou sem motivação.

Assim música de Umbanda, seus pontos cantados não é apenas uma ação de atração de determinadas forças e poderes e a utilização dos mesmos para determinadas ações dentro dos trabalhos realizados dentro do templo, mas também funciona como uma forma de musicoterapia, pois se utiliza da música, do ritmo, das melodias, da harmonia e das letras para levar ao seu adepto a se conectar com o sagrado, mas também trabalhar, curar o seu espiritual, seu psiquismo e seu emocional elevando-o em força e vibração auxiliando no seu processo de transformação.

Assim se você é médium de umbanda ou apenas um simpatizante que vais as giras, aproveite esse momento para cantar, dançar e se conectar com as forças dos Guias e com os poderes dos Orixás e se beneficiar dessa magia que os Pontos Cantados, que a música sagrada de Umbanda realiza através dos seus mistérios.

Lembrem-se: “quem canta os males espanta, mas quem canta e dança joga para mais longe ainda”. E se todos cantarmos com alma, com sentimento não só estamos a operar magia em nossa vida através dos cânticos sagrados, como estaremos auxiliando aqueles que dela necessitam para realizarem uma verdadeira transformação, cura o do seu estado de espírito.

[1] Músicas edificantes