A Umbanda possui várias vertentes espirituais e religiosas na sua fundamentação, nomeadamente a africana, a indígena e a europeia ou cristã. Devido a essas influencias, temos hoje dentro da Umbanda, várias umbandas, umas de carater mais africanistas, outras de carater mais indígenas e ainda outra de carater mais cristão. Independente da predominância da corrente de Umbanda, os valores espirituais, sociais, culturais e religiosos das três influências básicas estão presentes em todas elas.

As influências básicas da Umbanda são as mesmas formadoras da cultura espiritual, social e religiosa do povo brasileiro, que por mais que seja um povo maioritariamente cristão, possui influências notórias em sua cultura e valores das tradições indígenas e africanias, ou simplesmente naturais.

A umbanda nasce dentro desse “caldo” cultural, religioso e racial chamado brasil e deste de cedo mostra suas raízes cristãs, o que a separa dos cultos naturais, porém mantendo, adotando ou renovando os seus valores.

Na Umbanda Jesus é sincretizado com Oxalá, onde muitas vezes um se confunde com o outro. Porém ambos são mistérios distintos, mas ao mesmo tempo afins e similares entre si.

Na Umbanda Pai Oxalá é o mistério absoluto da fé, é um trono, uma divindade, um mental planetário, como queiram, e que nunca encarnou ou esteve fisicamente presente em nossa Terra.

Jesus, podemos dizer de uma maneira popular é o filho de Deus, mas filho de Deus todos nós o somos. Mas é um ser, ou melhor uma divindade que se humanizou e teve sua passagem pela Terra.

Na Umbanda vemos Jesus não como um espirito que se iluminou dando vida a sua centelha crística dentro de si, mas sim uma das manifestações físicas da Própria Centelha Divina.

Uma divindade, ou como chamamos um Orixá, um Orixá intermediário, visto que é uma divindade que atua principalmente em dois Mistérios e não apenas num mistério puro. Pois a mensagem de Jesus mostra claramente a expressão do mistério da Fé e do Amor, sendo entendido assim como um Orixá de interligação dos tronos maiores da Fé e do Amor.

O que para nós não o diminui, apenas o engrandece.

Sendo para nós um Oxalá do Amor, e isso por si só já fundamenta seu sincretismo religioso com Pai Oxalá, o Pai da Umbanda.

Jesus é um ser que traz em si um mistério divino próprio que por amor a humanidade, obscurecida das verdades do Pai Maior se humanizou, ou seja tomou forma humana para se fazer sentir, ver, ouvir e falar aos homens.

Jesus nas suas mensagens se assumiu como um caminho, como um meio que através de seus ensinamentos nos auxiliaria no nosso caminho de volta ao Pai.

Sua veracidade é muitas vezes contestada e sua vida sempre envolta de mistérios, mas tudo que é divino não é assim.

Independente de sua veracidade histórica, Jesus esteve, está e estará vivo no coração e mente da humanidade como o salvador, como o sustentador de nossa evolução.

Apesar da Umbanda ser um culto natural aos sagrados Orixás, podemos dizer de uma forma simplificada que a Umbanda é uma religião cristã de culto a natureza e aos Sagrados Orixás.

Não é uma religião afro-brasileira como dizem, mas sim genuinamente brasileira, pois é a síntese, a expressão da religiosidade de um povo.

Seu messianismo, ou sua mensagem ficou conhecida na nossa história como cristianismo, não confundir com catolicismo, pois através da mensagem ou do messianismo do Divino Mestre várias religiões se basearam em sua Teologia.

Outra controvérsia muito grande em relação a vida ou existência de Jesus é o seu dia de nascimento, mas independente disso comemoramos seu nascimento a vinte e cinco de Dezembro.

Interessante é saber que os antigos cristãos associavam Jesus ao sol, considerando-o uma divindade solar, que são divindades relacionadas com os mistérios da criação, da luz e do dia, assim como Pai Oxalá.

E antes mesmo da “criação” da Celebração do Natal, oficialmente dia vinte e cinco de dezembro, já se comemorava nessa data pelos antigos romanos e outros povos a celebração a divindade do Astro Rei e crê-se que Jesus começou a ser também reverenciado nessa época por sua associação natural a uma divindade solar.

Então é muito antigo a celebração a divindade da Luz, a divindade da vida, e com Jesus através da sua luz, comemoramos no Natal a fixação de uma consciência crística em nossas mentes, em nossos corações e em nosso mundo.

Que dia vinte e cinco de dezembro nossa vida esteja repleta de Luz de Oxalá e de Jesus.